2022 Fora do “Padrão”

Pra iniciar esse ano com o pé direito decidi desmistificar algumas ideias não apenas sobre Consultoria de Imagem ou sobre Moda, mas sobre a essência disso tudo, o VISUAL.

Compartilhe:


MODA HUMANIZADA

Foto: Cla Ribeiro

Pra iniciar esse ano com o pé direito decidi desmistificar algumas ideias não apenas sobre Consultoria de Imagem ou sobre Moda, mas sobre a essência disso tudo, o VISUAL.

Há muito tempo fomos doutrinadas(os) que a estética, ou seja, a imagem, o visual de uma pessoa é algo fútil, que se achar bonita(o), linda(o), gostosa(o), atraente, ou ser simplesmente satisfeita(o) com o próprio visual é prepotência, egocentrismo ou coisas do gênero. Mas em contra partida, de tempos em tempos são estipulados padrões que agradam mais aos olhos, digo “de tempos em tempos”, pois não é sempre o mesmo padrão. Por vezes seios fartos são bonitos, depois seios pequenos são elegantes. Ou mulheres “carnudas” são atraentes, e na sequencia as “fininhas” tomam a cena. Homens com o rosto lisinho atraem, e do nada cada um que corra atrás da sua barba preenchida. Cabelos longos, cabelos curtos, naturais, alisados, alongados… E por aí vai, uma série de exigências, junto à uma série de frustações, pois dessa forma é humanamente impossível acompanhar e se sentir aceito em tempo integral.

Há pouco tempo estamos aprendendo a olhar com outros olhos esse assunto, não apenas as pessoas em si, mas também as empresas no ramo estético em geral. Agora será que já é possível se olhar no espelho de tal maneira menos exigente?

Quando digo “menos exigente” não quero dizer de forma desleixada, ou voltar naquela ideia que se preocupar com isso é muito banal. Quando você se conhece, conhece seus pontos fortes e também aqueles que não gosta de ressaltar, é muito mais fácil reconhecer a própria imagem de forma positiva. As pessoas em geral podem te *inspirar*, mas sua única fonte de comparação deve ser você mesma(o), pois não existe 1 só pessoa no mundo que tenha o mesmo corpo, rosto, história, rotina ou procedimentos que teve de passar a não ser você mesma(o), sendo assim quaisquer forma de comparação é injusta com você e com o outro.

A partir do momento que você entender isso de forma prática, colocando seus objetivos de imagem pessoal, ou seja a imagem que quer transmitir, descobrir quais cores lhe agradam e quais combinam mais com você, qual seu formato de corpo e como valorizar ele em cada detalhe e identificar seus estilos pessoais. Se olhar no espelho e se sentir perfeita, não será mais prepotência, pois será o seu perfeito, e isso não é fútil ou banal, isso é saudável e essencial para uma vida mais leve e feliz!

Se você entendeu essa mensagem que tentei lhe transmitir, você está pronta(o) para iniciar esse processo de autoconhecimento.

@prihernandesoficial

Compartilhe:


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.